COMISSÃO DE SAÚDE DA CÂMARA MUNICIPAL DE MATA ROMA DETECTA TOTAL ABANDONO, FALTA DE REMÉDIOS E ATENDIMENTOS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DA ZONA RURAL.

Vereadores da situação e oposição (foto acima) fazem vistorias nas unidade básicas de saúde e encontram um verdadeiro descaso, veja abaixo no relatório acompanhado de imagens da real situação da saúde de Mata Roma.  
 

 

A comissão de saúde da Câmara Municipal de Mata Roma tem acompanhando cotidianamente a questão da falta de medicamentos e insumos no município e realizou inúmeras visitas/vistorias nas unidades de saúde do município, com objetivo de detectar as causas destes problemas graves que aflige a população mataromense e contribuir para a superação desta situação de repúdio. 

 Diante da situação a comissão resolveu convocar o secretário Municipal de saúde, que se apresentou na em audiência na câmara Municipal, para prestar esclarecimento sobre o atual descaso da saúde, o qual não convenceu os membros daquela casa. 

Imagens obtidas pela comissão 

A fato é que a crônica falta de medicamentos e de insumos nas unidades de saúde foi detectada pela comissão de vereadores, conforme vistoria em loco (do dia 27 a 30 de maio) e relatos das comunidades locais. A falta de medicamentos nas unidades de saúde se estende desde o início do atual mandato. Incluído ate mesmo os voltados para assistência farmacêutica básica. 

A comissão constatou ainda a falta de profissionais de saúde (médico, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentista e auxiliar de saúde bucal) nas unidades de atendimento à população, bem como problemas de infraestrutura predial e de equipamentos que mostram um verdadeiro abandono por parte do gestor municipal. 



Entretanto, ao consultarmos os recursos destinados do Bloco de Atenção básica, somente no ano de 2021, foram recebidos os valores de 6.651.334,40 (SEIS MILHÕES, SEISCENTOS E CINQUENTA E UM MIL, TREZENTOS E TRINTA E QUATROS REAIS E QUARENTA CENTAVOS) para atenção primaria e R$102.320,00 (CENTO E DOIS MIL, TREZENTOS E VINTE REAIS) para assistência farmacêutica, e em 2022 até a competência do mês de junho o bloco da atenção primaria recebeu  R$ 1.848.556,13 (UM MILHÃO, OITOCENTOS E QUARENTA E OITO MIL, QUINHENTOS E CINQUENTA E SEIS REAIS E TREZE CENTAVOS) E R$ 58.564,92 para a assistência farmacêutica, totalizando 8.660.775,45 (OITO MILHÕES, SEISCENTOS E SESSENTA MIL, SETECENTOS E SETENTA E CINCO REAIS E QUARENTA CINCO CENTAVOS), somente para este nível de atendimento e sem somarmos os recursos próprios obrigatórios do tesouro municipal que devem ser destinados a assistência a saúde, o que se configura uma inconformidade ou até a ilegalidade na execução dos recursos federais transferidos ao município.