Mata Roma: prefeito antecipa julgamento no TRE e diz que vai ‘dar taca’

 

O prefeito de Mata Roma, Besaliel Albuquerque (PDT) cometeu um inconfidência, na mais recente visita do governador Flávio Dino (PSB) à cidade, que pode complicar sua situação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão.

Alvo de uma representação por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2020 – que pode culminar com a cassação do seu mandato -, o gestor garantiu que vai vencer o julgamento na corte.

Nas palavras de Besaliel, ele vai “dar mais uma taca” nos adversários. “Lá no TRE tem uma questão nossa, briga contra a gente, que o Paulo Neto não se conformou com a taca. […] Vamos ter fé em Deus, vamos ser fortes, que lá nós iremos dar mais uma taca nele”, disse.

A declaração foi encarada como uma antecipação do resultado do julgamento, que só ocorre no dia 29 de março.

É no mínimo curioso que, mais de uma semana antes, o gestor tenha tanta certeza de que sairá vitorioso, mesmo contra posicionamento do Ministério Público Eleitoral.

O caso

Besaliel foi denunciado ainda em 2020, quando, em pleno período eleitoral, promovia o chamado “Cafezinho do Besa”, que de cafezinho não tinha nada. Eram verdadeiros banquetes com distribuição de comidas, bebidas e outras vantagens a eleitores, vistas como crime eleitoral pelo MPE.

O pedetista acabou vencendo a eleição por míseros 62 votos de diferença.

“Foram colacionados prints, fotos e vídeos das redes sociais mantidas pelos demandados, para fins de registro da “DISTRIBUIÇÃO DE DÁDIVAS, BRINDES E AFINS”, o que, segundo o autor, seria como FORMA DE ANGARIAR VOTOS ILEGALMENTE. Segue alegando que houve também “a indubitável compra de votos, por meio de entrega de envelopes de dinheiro, promessas de empregos e afins”, e que tais condutas visavam à captação ilícita de sufrágio. Diante da harmonia de provas, é evidente o comprometimento da normalidade do pleito para prefeito, também considerada a diferença de votos ao final da apuração, mormente porque o representado bem sabe que o apoio dos moradores de um bairro ou povoado carente poderia lhe valer a eleição”, destacou a promotora Ilma de Paiva Pereira, ao recomendar a cassação do prefeito.

Cafezinho

A postura de afronta às instituições eleitorais não é novidade para Besaliel. Logo após a divulgação do parecer ministerial, ele apareceu nas redes sociais em uma imagem considerada um deboche à Justiça Eleitoral.

Na foto, tirada dentro da Secid, ele estava ao lado de Glinoel Garreto, adjunto da pasta e seu aliado em Mata Roma, e de um contador da Prefeitura. Todos seguravam xícaras de café, numa clara referência ao “Cafezinho do Besa” denunciado nas eleições.

É com base nesses fatos – e, mais do que isso, nessas posturas – que Besaliel será julgado pelo TRE.