Weverton Rocha termina semana em baixo astral e com sensação de que pré-candidatura perdeu o fôlego

 


A badalada pré-candidatura de Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Maranhão vem sofrendo duros reveses nas últimas semanas. Após Flávio Dino (PSB), deixar claro que Carlos Brandão (PSDB) é o seu preferido, o pedetista articulou vindas de Carlos Lupi (PDT) e Zé Dirceu (PT) para forçar a barra quanto ao seu nome. No entanto o que se viu ao longo da semana foi uma total falta de prestígio do senador maranhense, o que evidencia uma possível perda de fôlego.

Weverton usou a estratégia de apresentar o maior número de aliados. Foi anunciando aos poucos partidos que lhe apoiam e demonstrando possuir prefeitos e alguns deputados aliados, mas Flávio Dino já deixou claro que não quer o pedetista como governador e isso faz com que o pedetista vá sendo “esvaziado” aos poucos.

Por outro lado, Weverton possui duas grandes estruturas na mão, o Detran e a Sedes, razões suficientes que fazem com que o senador se mantenha calado e passe a engolir seco o esvaziamento da sua pré-candidatura, caso contrário ainda ficará mais fragilizado.

A fala da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, ao longo da semana caiu como uma bomba. A petista afirmou: “Não tem nada decidido e encaminhado. Zé Dirceu foi a passeio, pelo que me disse. Qualquer articulação aí [no Maranhão] envolverá a direção estadual e nacional do PT”.

Para completar, o presidente estadual do PT, Augusto Lobato, declarou: “Aliança no Maranhão não tem que ser uma aliança eleitoral, mas uma aliança para derrotar o que tem de pior. Sinto de nossa parte [PT], eleger o Lula. No Maranhão é continuar o projeto ao lado do governador Flávio Dino. Na política você tem que ter lealdade e ter lado. Por isso, acho que o Brandão merece ser o candidato. Eu pessoalmente, vou trabalhar internamente pela candidatura do Brandão“.

Tudo isso caiu como uma bomba e implodiu toda a estratégia de Weverton Rocha, que vem perdendo aliados semanalmente.

Stênio Rezende marido da deputada estadual Andreia Rezende (DEM) e tio do deputado federal Juscelino Filho (DEM), já declarou apoio a Carlos Brandão; Edivaldo Holanda Júnior anunciou filiação ao PSD para disputar o governo do Maranhão; Yglesio Moyses anunciou que não vai mais para o PDT e seguirá com Brandão; Neto Evangelista (DEM), está cada vez mais distante.

São alguns exemplos do naufrágio da pré-candidatura de Weverton Rocha que termina a semana em baixo astral bem ao contrário de como ele desejava, uma vez que ida de Zé Dirceu a mansão do pedetista em Barreirinhas era para ser o abre-alas de uma semana empolgante, mas que termina assim como águas que correm a beira da residência do senador às margens do Rio Preguiças, bem calmas, quase parando…

Fonte: Diego Emir.