Adolescente estuprada em Castelo do Piauí morre no HUT por causa das lesões no tórax

A estudante Danielly Rodrigues, de 17 anos, uma das quatro jovens violentadas em Castelo do Piauí, que morreu no final da tarde de domingo (07), queria ser médica.

Danilly Rodrigues, 17 anos, queria ser médica   
Matéria atualizada as: 09:09/08/06/15
Morreu, no final da tarde deste domingo, às 17h30, a adolescente D.N.F, de 17 anos, uma das quatro adolescentes estupradas e espancadas por quatro adolescentes e um adulto de 40 anos, na semana passada em Castelo do Piauí, morreu em consequência das complicações originadas das agressões sexuais e da cirurgia de reconstituição da sua face, desfigurada pelas agressões já que após ter sido estuprada foi jogada do Morro do Garrote, na periferia da cidade, de uma altura de sete metros.
Garotas foram estrupadas e violentadas 
A morte foi confirmada pelo diretor do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), médico Gilberto Albuquerque.

Foram vítimas de estupro em Castelo do Piauí as adolescentes I.C.M.F., de 16 anos, J.L.S., de 15 anos, D .R.F. de 17 anos, e R.N.S.R., de 17 anos. As quatro foram internadas correndo risco de morte. ICM.F. foi transferida para o Hospital São Marcos, J.L.S. foi transferida para um apartamento do HUT e R.N.S.R. que estava com seu estado de saúde muito agravado por causa de traumatismo craniano reagiu, saiu da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e está na Unidade de Cuidados Especiais do estabelecimento hospitalar.
O HUT informou que D. R.F. foi submetida a uma cirurgia de reconstituição da face, teve complicações e foi feita uma campanha de doação de sangue para formação de plaquetas.


Na sexta-feira, os médicos retiraram a sedação de D. R.F. e ela não acordou do coma e permaneceu na UTI. Foi quando os médicos começaram o protocolo de investigação se ela tinha ou não morte cerebral.
D. R.F. passou por três cirurgias e estava na UTI do Hospital. Ele teve esmagamento da face e complicações no tórax. Ela foi brutalmente agredida, estuprada e jogada de uma altura de sete metros.
O crime ocorreu no dia 27 de maio e desde então, ela lutava pela vida.
O diretor do HUT, médico Gilberto Albuquerque, afirmou que D.R.F. piorou seu quadro de saúde na segunda-feira quando houve rompimento de sistola (estado de contração de fibras musculares e cardíacas) no tórax, causando hemorragia.
Segundo ele, D. R.F. Sofreu lesões no tórax, foi internada na UTU e na tarde de domingo teve mais complicações , o que causaram a sua morte.
“Quando D. chegou no HUT entrou com fratura na face, mas não estava com quadro de saúde muito grave, tanto que inicialmente não foi para a UTI, mas como sofreu lesões no tórax, uma delas se rompeu, causando hemorragia e seu quadro se complicou e estava em coma até sua morte”, afirmou Gilberto Albuquerque.
O sepultamento de D. R.F. será em Castelo do Piauí, onde mora sua família, nesta segunda-feira.

O secretário estadual de Segurança, major Fábio Abreu, confirmou a morte de D.R.F.
Adão de Sousa é apontado pelos quatro adolescentes como mentor dos abusos. Na imagem, o dia da apresentação do acusado ao lado do secretário Fábio Abreu e o delegado Laércio
Fonte: Meio Norte

Receba notícias do blog em tempo real, curta nossa fan page no Facebook(Click aqui)