Linda História de Gabriel, de 12 anos.

 O registro é do fotógrafo João Paulo Guimarães, que organizou uma campanha online para dar uma nova árvore de Natal para Gabriel, de 12 anos.

Um registro feito pelo fotógrafo João Paulo Guimarães no município de Pinheiro, a 133 km de São Luís, tem chamado atenção nos últimos dias. Uma foto tirada em um lixão da cidade mostra Gabriel, de 12 anos, que acompanhava a mãe no local, encontrando uma árvore de Natal em meio aos entulhos. 

“Gabriel estava catando lixo desde 7h e, no meio da sujeira, encontrou essa árvore de Natal e ficou muito, mas muito feliz. Ele mostrou pra mãe dele, dona Maria, e fez os planos de ajeitar pra Dezembro e colocar na sala de casa. Gabriel guardou dentro de uma caixa a árvore, voltou pra procurar comida e depois veio buscar a árvore pra levar pra casa. Ele ficou muito feliz”, contou João Paulo em uma rede social. 

Com a repercussão da imagem, Gabriel acabou ganhando uma árvore nova, além de outras doações arrecadadas em uma campanha online. Em entrevista ao programa “Estúdio i”, da GloboNews, o fotógrafo se emocionou ao relembrar o dia em que fotografou o garoto. 

“Passei o dia com eles fotografando no lixão. E eu vi quando o Gabriel abriu o saco e puxou. Eu lembro disso como se fosse assim em câmera lenta, acontecendo na minha frente. E eu só virei e comecei a fotografar”, contou o fotógrafo, que mora em Belém (PA). 

João Paulo disse que a ideia de organizar uma vaquinha online surgiu durante uma conversa com Gabriel no lixão, que revelou o sonho de ganhar um celular. Através, então, de uma campanha relâmpago nas redes sociais, o fotógrafo, no dia seguinte, levou cestas básicas, brinquedos e enfeites de Natal até o garoto. 

Gabriel recebeu os presentes durante uma audiência pública no dia 10 de novembro, quando foi oficializada a criação da Associação de Catadores de Pinheiro. Com isso, o objetivo é uma maior organização do trabalho e a busca por políticas públicas em benefício das famílias que hoje sobrevivem da reciclagem na região. 

O prefeito João Luciano Silva Soares também participou da audiência e comprometeu-se publicamente em fornecer renda mínima de 100 reais por mês para o catador associado e uma cesta básica por mês para a família de cada catador. 

Em todo o Maranhão, a Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres) diz que articula com as prefeituras a criação de galpões para catadores e que criou um auxílio emergencial de R$ 400 reais para a categoria. Veja, abaixo, o que diz o Governo do Maranhão sobre o assunto: 

“A Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres) informa que desenvolve um extenso trabalho de acompanhamento dos trabalhadores da coleta de resíduos sólidos, inclusive com entrega de equipamentos. Além disso, segue articulando, junto às prefeituras, a criação de galpões para catadores e catadoras para que possam ter um local digno para trabalhar, também atua promovendo capacitações e criou um auxílio emergencial para categoria no valor de R$ 400,00, visando reduzir os impactos causados pela pandemia. Com mais associações criadas, o Governo do Maranhão amplia as ações, tendo como foco reconhecimento, dignidade e garantia de renda. 

A Secretaria informa, ainda, que no último dia 10 de novembro, esteve presente na cidade de Pinheiro em Audiência Pública proposta pela Defensoria Pública do município com a participação do prefeito, para estimular os catadores a criarem suas cooperativas, para, assim, promover o protagonismo e assegurar direitos da categoria.” 

Com informações do G1 MA

Siga o blog no Instagram, (click aqui)