Ex-prefeito Magno Bacelar é alvo de processo por desaparecimento de mais de R$ 145 Mil da Saúde de Chapadinha

 O ex-prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar, está sendo alvo de um processo por improbidade administrativa, ajuizado no Ministério Público Federal – MPF, pelos advogados Lourival Soares da Silva e Natália dos Santos Meneses.


O motivo doa ação, segundo os advogados, é o desaparecimento, no dia 8 de dezembro de 2020, último mês do mandato do ex-prefeito, de R$ 149.681,99 (cento e quarenta e nove mil seiscentos e oitenta e um reais e noventa e nove centavos).

Este valor corresponde a um recurso que sobrou da obra de construção da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, que teve início na gestão da então ex-prefeita (e agora prefeita novamente), Ducilene Belezinha.

Este dinheiro foi transferido pela gestão passada (Magno Bacelar) para uma Empresa de nome NORDCON NORDESTE REP. DISTRIBUICAO E COMERCIO EIRELI, sendo que a Empresa não possuía nenhum contrato que justificasse tal transferência.

A NORDCON também está inclusa no Processo ajuizado pelos advogados, assim como o nome do então secretário de Saúde do Município, Eli Aguiar.

PARA VOCÊ ENTENDER MELHOR

A obra da UPA teve início em 2013, na gestão de Belezinha e no dia 09/12/2016 (ainda na gestão Belezinha) já estava 100% concluída. Só que o pagamento da terceira e última parcela da obra à empresa responsável, foi efetuado somente no dia 10 de janeiro de 2017, já nos primeiros dias do governo Magno Bacelar.

Assim, após realizado os 100% do pagamento para a construtora responsável pela obra, ainda ficou um saldo em conta corrente no valor de R$145.073,76, que deveria ser devolvido pelo ex-prefeito Magno Bacelar ao Ministério da Saúde, no entanto, o dinheiro ficou aplicado, de forma automática, em conta corrente, rendendo R$7.068,77 até dezembro de 2020, somando um total de R$152.142,53.

Faltando 23 dias para entregar o governo, a gestão Magno Bacelar transferiu o dinheiro para a NORDCON.

Tentamos contato com o ex-secretário de Saúde, Eli Aguiar, mas ele está viajando. Ainda não conseguimos falar om a empresa DORDCON nem com o ex-prefeito Magno Bacelar.